Guia de estilo de curadoria

Última atualização: 23 de maio de 2019

Os Moments foram criados para mostrar o melhor do que está acontecendo no Twitter: ótimas conversas e memes, as últimas notícias e as diversas opiniões e perspectivas.

O objetivo dos Moments é exibir conteúdo interessante, original e diversificado. Quando selecionamos Tweets para aparecer em um Moment, levamos em consideração o conteúdo do Tweet, as mídias que ele usa, o avatar do perfil e o nome de usuário que fez a publicação.

Imparcialidade: tomamos decisões baseadas em dados para escolher Tweets sobre temas controversos, destacando aqueles que já recebem mais engajamento no Twitter. Em temas que refletem debates públicos, selecionamos Tweets que representam muitos lados da conversa, sempre que possível. Os curadores do Twitter não devem expressar a própria opinião, e sim refletir o debate conforme ele acontece na plataforma.

Precisão: quando abordamos notícias ou conversas de interesse jornalístico, queremos destacar Tweets de qualidade que contenham informações precisas.

Correções: se tomarmos conhecimento de que destacamos conteúdo incorreto, atualizaremos o Moment com a devida correção e publicaremos um Tweet atualizado. Em casos raros, poderemos excluir o Moment e publicar uma retratação.

Padrões: o uso de palavrões, violência, nudez e outros tipos de conteúdo potencialmente sensível deve ser evitado, a menos que seja absolutamente necessário para contar uma história de interesse jornalístico. Não usaremos Tweets que incentivem ou retratem condutas ilegais. Informaremos claramente aos usuários quando um Moment incluir conteúdo potencialmente sensível.

Este guia de estilo foi desenvolvido para complementar as políticas de curadoria que ajudam nossa equipe de curadoria a criar conteúdo atraente, factual e imparcial com repercussão em todo o mundo. Ele deve servir apenas como um guia e pode ser alterado de tempos em tempos. 

Regra básica

Nós usamos a linguagem do Twitter.

Por exemplo, quando adicionamos um emoji ao final de uma sentença ou questionamos se por cento é uma só palavra ou duas (resposta: depende do país, mas as pessoas que interagem com Moments são mais propensas a usar o símbolo %), estamos tentando nos manter fiéis à conversa na plataforma.

Abreviações

Não utilizamos ponto final para abreviar nomes de países e organizações. Isso reflete o uso comum no Twitter. Portanto, o correto é EUA e RU, não E.U.A. e R.U.

Denúncias de atiradores ativos

Department of Homeland Security define um atirador ativo como "um indivíduo ativamente empenhado em matar ou tentar matar pessoas em uma área confinada e populosa. Na maioria dos casos, os atiradores ativos usam armas de fogo, e não há um padrão ou método para selecionar as vítimas". Ele também observa que esses incidentes são imprevisíveis, evoluem rapidamente e normalmente acabam em 10 a 15 minutos (O panfleto do DHS também está disponível em espanhol).

Esse termo é usado frequentemente de maneira incorreta em situações de notícias urgentes, na maioria das vezes para descrever denúncias de tiros disparados. O uso incorreto do termo atirador ativo, diz Factal, "legitimiza e agrava uma situação de maneira desnecessária", incluindo o aumento de ligações para a polícia e do pânico entre as pessoas próximas ao local e preocupadas que estão acompanhando a situação.

Devemos evitar o uso do termo "atirador ativo", a menos que a polícia confirme um incidente ativo. Em vez disso, tais denúncias devem ser descritas como "possíveis tiroteios" ou "polícia atendendo denúncias de atirador".++

Ad hominem

Ataques ad hominem criticam uma pessoa, não a ideia ou posição dela em um debate.

É a diferença entre escolher um Tweet que diz "O primeiro-ministro é uma pessoa desnecessária" de outro que diz "A declaração do primeiro-ministro foi desnecessária".

Evitamos incluir Tweets que atacam um indivíduo ou o caráter dele, a menos que eles sejam essenciais para a conversa enquanto ela ocorre no Twitter e possam ser posicionados de maneira apropriada no contexto.

Anotações

As anotações fornecem contexto, panorama, notas biográficas, traduções ou subtítulos aos Moments. Elas também podem ser usadas para justificar a escolha de Tweets, por exemplo, ao explicar o conhecimento de uma pessoa.

Todo o conteúdo de uma anotação deve ser facilmente verificável ou atribuível. Por exemplo, com a inclusão do Tweet no idioma original ao lado de uma tradução em uma anotação.

Não queremos que as anotações mudem ou reformulem o conteúdo de outras pessoas. Preferimos sempre usar Tweets. Ao usar informações que não estão disponíveis nos Tweets, faça adaptações ou citações conforme necessário, mas tente mantê-las curtas.

As anotações usadas como títulos devem seguir o mesmo estilo deles. Já o texto do corpo da anotação deve ser escrito em sentenças. 

Atribuição

Tudo que for mencionado no Tweet, no título e na descrição do Moment também deverá aparecer no Moment.

Quando um fato tem o suporte de três fontes ou menos, nós o atribuímos à fonte por nome, no título ou na descrição. Depois que ele é confirmado por mais de três fontes, as referências de atribuição e os "relatos" podem ser removidos.

Em vez de usar "supostamente", "de acordo com fontes" ou "acredita-se que" nos Moments, é preferível atribuir a informação à fonte. 

Funções corporais

Não é recomendável fazer seleções para enojar as pessoas. Assim, não é recomendável criar Moments focados apenas em funções corporais, especialmente quando isso não estiver sendo amplamente discutido.

Ao criar um Moment desse tipo, considere o contexto na escolha das palavras e do tom e não inclua conteúdo grosseiro na imagem da capa.

Marcas

Evitamos a inclusão de conteúdo de contas de marcas em Moments, a menos que ele seja essencial para a conversa.

Clickbait

A curadoria fornece às pessoas o contexto e a narrativa de que elas precisam para entender o que é importante no Twitter. Portanto, queremos garantir que nossos títulos e descrições forneçam às pessoas o contexto de que elas precisam para decidir se desejam obter mais informações. 

Queremos que nossos títulos sejam comunicativos, informativos e criativos sem que se tornem clickbaits. Os clickbaits retêm informações intencionalmente para enganar as pessoas ou fazem perguntas que as obrigam a clicar. 

Substantivos coletivos

Nomes de empresas, partidos políticos e grupos são no singular, e é assim que nós os tratamos, por exemplo, a empresa X divulgou seus lucros na quarta-feira.

Bandas e times são tratados de maneiras diferentes de acordo com o mercado. Portanto, nós reformulamos o texto para contornar as discrepâncias entre singular/plural. Por exemplo, em vez de escrever "A banda lançou seu novo álbum", escreva "O novo álbum foi lançado". Quando essa solução não for possível, nós seguimos o modo como as pessoas normalmente falam no Twitter (por exemplo, "A banda (com o nome no singular) fará uma turnê pelo Canadá").

Crimes

Ao incluir conversas sobre crimes, não devemos colocar fotos do suspeito ou acusado na capa, especialmente quando as únicas disponíveis são fotos reais, e não de audiências ou retratos falados.

Devemos evitar o uso de nomes e imagens de supostos agressores de maneira destacada em títulos, descrições e capas. Os Moments devem priorizar as pessoas afetadas pelo evento.

Curadoria sobre desinformação

Nossa missão é fornecer conteúdo de qualidade e contexto para ajudar as pessoas a julgar a precisão das informações que visualizam.

A desinformação tem muitas formas, incluindo, de acordo com a UNESCO:

  • Sátira e paródia: sem intenção de causar danos, mas pode enganar as pessoas.
  • Falsa conexão: títulos, imagens e/ou legendas que não correspondem ao conteúdo.
  • Conteúdo enganoso: uso enganoso de informações para retratar uma questão ou um indivíduo.
  • Contexto falso: quando um conteúdo autêntico é compartilhado novamente com informações incorretas sobre a situação.
  • Conteúdo impostor: uso da identidade de fontes autênticas.
  • Conteúdo manipulado: alteração de conteúdos verdadeiros de modo a enganar as pessoas.
  • Conteúdo fabricado: mentiras.

Antes de selecionar conversas sobre desinformação, precisamos considerar o grau de visibilidade delas na plataforma e as comunidades que as compartilham. Não queremos migrar um tema de nicho para uma conversa geral. Portanto, devemos priorizar o fornecimento de informações precisas sobre assuntos que estão entre os principais de um país, em vez de procurar conversas com alcance limitado.

Ao selecionar conversas sobre esses temas, precisamos fornecer várias fontes de verificação e oferecer atribuições muito claras.

Não repita a alegação falsa no título e na descrição. Como explica a First Draft: "Não importa se o artigo de 850 palavras fornece todo o contexto e as explicações para desmistificar ou explicar por que uma narrativa ou alegação é falsa se a versão com 80 caracteres desse contexto é enganosa."

Tenha cuidado com a repetição de frases desconhecidas usadas na desinformação, pois essas palavras-chave podem ser criadas estrategicamente para levar as pessoas à descoberta de mais desinformação. Saiba mais sobre esse fenômeno, com o exemplo de "criadores de crises", no Data & Society Research Institute.

Datas

Não devemos usar os termos ontem, hoje ou amanhã em títulos ou descrições porque pode ser quinta-feira nos Estados Unidos e sexta-feira na Austrália. Ou um jogo que acontece tarde da noite na terça-feira ainda pode ser apresentado na quarta-feira de manhã. Use o dia da semana.

Para eventos ao vivo, inclua os fusos horários relevantes, por exemplo: Assista ao vivo às 14h AEST, 0h ET e 4h GMT. Se não houver espaço suficiente, use como padrão o fuso horário do país de origem.

Ao escrever uma data, coloque o dia e o mês (não abreviado). Exemplo: 12 de maio, 12 de setembro. 

Mencione as décadas como anos 1960, 1970, 1980 ou 1990.

Notícias em tempo real

Em situações de notícias urgentes e em tempo real, precisamos ser claros quanto ao grau de confirmação das informações e às fontes delas (consulte a seção Atribuição). Não é necessário incluir "mais informações em breve" ou "continue conectado para receber atualizações" nas descrições, mas convém atualizar o título e a descrição à medida que a situação se desenvolver.

Deficiências e enfermidades

Evitamos o uso de palavras que parecem definir as pessoas por condição ou enfermidade. Por exemplo, use "pessoas com deficiências", e não "pessoas deficientes" ou "os deficientes".

Além disso, só mencione deficiências ou enfermidades se elas forem relevantes para a conversa. Devemos evitar descrições que retratam enfermidades ou deficiências como um sofrimento, como "sofre de doença de Parkinson" ou "está lutando contra o câncer". Devemos usar "tem doença de Parkinson" ou "tem câncer". Podemos usar "enfermidade mental" como um termo genérico, mas preferimos usar condições específicas quando possível.

Refira-se às pessoas da maneira como elas se autoidentificam. Por exemplo, algumas pessoas com deficiência auditiva se identificam como Surdas, que abrange identidade e cultura, em vez de surdas, que significa "pessoa com audição limitada". (Saiba mais sobre essa distinção aqui).

Para mais informações, acesse o guia de estilo do National Center on Disability and Journalism, que possui uma lista de termos e considerações em ordem alfabética.

Alegações disputadas

Nossa função é fornecer às pessoas o máximo possível de contexto sobre informações que estão ganhando popularidade no Twitter. Se conversas populares de grande importância incluírem informações factualmente disputadas por diversas fontes, deveremos citar as fontes claramente no contexto fornecido. Devemos fazer todo o possível para evitar a reprodução de informações disputadas no título. 

Emoji

Usamos emoji como ênfase ou para substituir emoções em títulos e descrições, não para substituir palavras. Coloque o emoji no final de títulos e sentenças, como fazem muitas pessoas no Twitter. Não devemos usar emoji para temas sérios ou possivelmente sensíveis nem para notícias urgentes.

eSports

Tratamos "eSports" ("e" minúscula, exceto quando estilizado de maneira diferente no nome de um evento) como um termo genérico para videogames competitivos com vários jogadores. A competição normalmente ocorre em ligas, ou torneios, onde os comentaristas são chamados de transmissores. As duas principais variações de eSports são os jogos de atiradores, também conhecidos como FPS, e MOBA, que significa Multiplayer Online Battle Arena. Devemos definir os dois acrônimos ao fazer referência a eles nos Moments. Simulações de esportes convencionais, incluindo FIFA e Madden, também são variações populares. O maior torneio é o Evo, que se concentra em diversos jogos de lutas.

Os títulos de videogames são tratados da mesma maneira que os de filmes e livros, ou seja, todas as palavras com a primeira letra maiúscula, mas sem itálico ou aspas.

Termos com gêneros

Quando possível, preferimos usar termos sem gênero para descrever o cargo ou a função de uma pessoa. Por exemplo, "oficial de polícia" em vez de "o policial".

Para celebridades, quando não há uma preferência declarada, usamos "ator" ou "cantor" como padrão para ambos os gêneros. Citando Whoopi Goldberg: "Uma atriz só pode interpretar uma mulher. Sou ator – posso interpretar qualquer coisa." 

Hashtags

Não devemos incluir hashtags em títulos de Moments, pois os leitores não podem clicar nelas.

Palavras em hashtags podem ser limitadas para melhorar a legibilidade em uma descrição ou Tweet (por exemplo, #StarWarsDay x #starwarsday). 

Saúde e estudos científicos

Para nós, um bom Moment sobre saúde ou ciência:

  • Apresenta a história inteira.
  • Fornece o contexto necessário para entender a pesquisa.
  • Não sobrestima os resultados do estudo.

Começamos analisando o próprio estudo:

  • Onde ele foi publicado?
  • Ele foi avaliado por um especialista? (Outros especialistas da área avaliaram os métodos e resultados.)
  • Qual foi o tamanho da amostra?
  • Leia o resumo do estudo e analise o que os pesquisadores estão dizendo. As manchetes estão exagerando ou sobrestimando as declarações?

Procuramos especialistas da área que estejam verificando os fatos ou respondendo ao estudo. Esperamos que, ao apresentar pontos de vista alternativos de especialistas, possamos ajudar nossos leitores a tirar suas próprias conclusões.

Falta de moradia

Procuramos usar uma linguagem que prioriza as pessoas em nossa curadoria para evitar rotular ou incentivar o julgamento com base na situação delas. Em vez de chamar as pessoas de sem-teto, devemos usar "pessoas que estão em situação de falta de moradia".

Identidade 

Descrevemos pessoas e grupos da maneira como elas se autoidentificam. Evitamos generalizar ou adivinhar a identidade das pessoas, incluindo gênero, etnia, filiações políticas ou crenças religiosas.

Só devemos mencionar a raça ou a etnia de um indivíduo quando a conversa for definitivamente sobre esse tema, por exemplo, em eventos históricos e inovadores ou em determinadas coberturas de justiça social.

Quando se trata das posições e crenças de um indivíduo ou grupo, devemos mostrar, em vez de dizer. Em vez de aplicar um rótulo político ou ideológico, devemos tentar descrever a posição ou o comportamento específico da pessoa ou organização para fornecer o contexto relevante para a conversa.

Lembre-se também de que o compartilhamento de uma ideia que agrada a um determinado grupo não significa necessariamente que um indivíduo faz parte desse grupo ou concorda com outras ideias dele. 

Condição de imigração 

Seguindo a Associated Press e outros, devemos usar o termo "ilegal" apenas para descrever ações relacionadas à imigração, não para descrever pessoas. Evitamos o uso do termo "imigrante ilegal", a menos que ele faça parte de uma citação direta. Preferimos dizer que alguém entrou ou está vivendo no país ilegalmente. Também evitamos o termo "sem documento".

Devemos atribuir todos os detalhes sobre a condição de imigração, por exemplo, como divulgado por um advogado ou a agência governamental relevante. Quando possível, também devemos compartilhar as circunstâncias individuais da pessoa, por exemplo, se ela permaneceu após o vencimento do visto ou cruzou uma fronteira ilegalmente.

"Migrante" é geralmente considerado um termo neutro para descrever uma pessoa que se mudou voluntariamente de uma região ou país para outro sem sugerir nada sobre sua condição legal.

A palavra "refugiado" geralmente se refere a uma pessoa que foi forçada a deixar o lar para escapar de perseguição, guerra ou desastre natural.

Pessoas que foram trazidas para os EUA quando eram crianças não devem ser descritas como imigrantes ilegais. Quando tais indivíduos são descritos como "em condição de residente temporário", eles são normalmente chamados de "DREAMers", uma referência ao Development, Relief, and Education for Alien Minors Act.

Podemos selecionar Tweets que não seguem nossos termos preferidos, mas devemos ter cuidado e levar essas diretrizes em consideração.

Imparcialidade

"Imparcialidade não é o mesmo que objetividade, equilíbrio ou neutralidade, embora contenha elementos dessas três palavras. Também não é o mesmo que ser justo, embora a imparcialidade seja improvável sem a justiça. Ser imparcial é simplesmente não tomar partido. Ser imparcial é oferecer diversas visões." (BBC).

Tentamos ajudar nossos leitores a ter acesso às informações de que precisam para fazer uma escolha fundamentada sobre sua própria opinião. Acreditamos que uma curadoria imparcial não toma partido e mostra os fatos, visões e argumentos relevantes sobre qualquer assunto sem julgamentos ou preconceitos e buscamos fazer isso sempre.

Citamos uma página do Journalistic Standards and Practices da CBC: "Em questões controversas, garantimos que as visões divergentes sejam refletidas de maneira respeitosa, levando em conta sua relevância para o debate e sua ampla difusão."

Populações indígenas no Canadá, nos EUA e na Austrália

Indígena é o termo preferido no Canadá e na Austrália para aqueles cujas raízes antecedem o colonialismo europeu. Nos EUA, use americano nativo ou, no caso de inuítes do Alasca, nativo do Alasca. Evitamos termos como índio americano, ameríndio e esquimó.

Se um indivíduo ou grupo se identifica como membro de uma nação específica, podemos nos referir a eles usando esse termo.

Há três grupos de indígenas no Canadá: First Nations, métis e inuítes. First Nations é um termo geralmente usado para descrever associação. Evitamos descrever pessoas como métis, exceto quando alguém se identifica explicitamente como tal. O termo inuítes refere-se a qualquer indígena que habita as regiões árticas da Groenlândia, do Canadá e do Alasca. A versão singular de inuítes é inuk. Por exemplo, "Um inuk vive em uma comunidade de inuítes no norte do Canadá."

Na Austrália, o termo aborígene refere-se a clãs de pessoas originárias da Austrália continental (incluindo a Tasmânia). Habitantes das Ilhas do Estreito de Torres são os clãs originários das Ilhas do Estreito de Torres. Devemos nos referir aos aborígenes e aos habitantes das Ilhas do Estreito de Torres como indígenas. Evitamos o termo "aborígene" ou a abreviação "TSI".

Em muitas comunidades aborígenes e de habitantes das Ilhas do Estreito de Torres, há protocolos culturais para o uso do nome, da voz e da imagem de uma pessoa falecida. A família ou a comunidade emitirá uma declaração indicando se o falecido pode ser identificado. Se o falecido não puder ser identificado, deveremos explicar o motivo na descrição ou em uma anotação.

Estado Islâmico

Esse grupo possui várias denominações, incluindo IS, ISIS, ISIL e Daesh. Seguimos a convenção da BBC de chamá-lo de "grupo Estado Islâmico" ou "autodenominado Estado Islâmico" na primeira ocorrência e IS nas menções subsequentes e nos títulos. 

LGBTQ

LGBTQ, que significa lésbicas, gays, bissexuais, transexuais, homossexuais ou indecisos, é nosso termo preferido. Evitamos o uso de abreviações menos comuns, como GLTB. Entretanto, devemos defini-las se necessário. Homossexual pode ser considerado um termo pejorativo. Então, use-o com cautela. 

Só devemos nos referir à orientação sexual de um indivíduo quando for essencial para entender a conversa. Nenhum elemento do Moment deve questionar ou desvalorizar a expressão de gênero, a identidade ou o gênero de uma pessoa.

Ao se referir a um indivíduo, use os identificadores declarados dele. Se não soubermos qual é o pronome correto dele, use o singular. Não usamos aspas ao redor de nomes nem pronomes para transexuais ou pessoas não binárias. 

Gay é o termo preferido para descrever homens e mulheres que sentem atração por pessoas do mesmo gênero, embora o termo lésbica seja mais usado para mulheres. Não usamos "gay" como substantivo. 

Como o termo homossexual é considerado pejorativo em alguns mercados, tentamos não usá-lo. Do mesmo modo, devemos usar "orientação sexual" no lugar de "preferência sexual", e pessoas LGBTQ devem ser descritas como "out", em vez de "abertamente gay". 

Evitamos termos difamatórios sobre a comunidade LGBTQ em todos os textos ou Tweets selecionados, a menos que eles façam parte de uma citação direta de interesse jornalístico.

A comunidade transexual

Pessoas transexuais têm uma identidade de gênero que difere do sexo atribuído a elas quando nasceram. Trata-se de uma designação abrangente que pode incluir qualquer pessoa que não se considere parte do gênero ou sexo atribuído a ela. Drag queens/kings não são necessariamente transexuais, embora algumas pessoas transexuais também sejam drag performers.

Não devemos usar "trans" nem "transexual" como um substantivo. A palavra "trans" é usada com mais frequência como uma abreviação de transexual, mas também pode significar travesti ou outros termos com conotações potencialmente negativas. Portanto, ela não deve ser usada sem um significante. 

Devemos respeitar as identidades de gênero das pessoas. Portanto, chamamos mulheres transexuais de mulheres, homens transexuais de homens, pessoas que se identificam como não binárias (às vezes "NB" ou "enbie") de "nem homem nem mulher". Evitamos o uso de "homem transexual" ou "mulher transexual" (nunca "homem trans"/"mulher trans"), a menos que alguém se autoidentifique como tal. 

Não usamos aspas ao redor de nomes ou pronomes. Além disso, devemos evitar chamar uma pessoa pelo seu nome "morto" (pré-transição). 

Indivíduos que não são transexuais podem ser chamados de "cis" ou "cisgêneros". Algumas pessoas LGBTQ discordam. Elas acreditam que "cis" é uma simplificação excessiva, e algumas pessoas não-transexuais não gostam de receber rótulos. Devemos evitar "cis" em títulos e descrições e ter cuidado ao usar o termo em Tweets selecionados.

Frases como "traveco", "travesti", "ele-ela", "gender-bender" ou insultos como "aberração", "anormal" ou "falsificado" são considerados ofensivos, embora advogados possam usá-los para provar algo. Evitamos esses termos em títulos e descrições (use "termo ofensivo" ou "termo transfóbico"), mas eles poderão ser usados em Tweets selecionados se forem essenciais para a conversa e o contexto de seu uso estiver claro. Não devemos incluir Tweets que usam esses termos como insultos diretos. 

Evitamos usar termos como "transexual", "pré/pós-operado", "nascido no corpo errado" e "mudança de sexo". Geralmente usamos "crossdresser"/"cross-dressing" no lugar de "travesti" e "intersexual", em vez de "hermafrodita". Evitamos termos que sugerem que alguém está "mudando de sexo".

Pessoas transexuais podem ter qualquer orientação sexual. Não devemos presumir uma ligação entre o gênero e a sexualidade delas.

Memes

Memes são imagens, vídeos ou textos que ganham vida própria rapidamente, repetindo-se e se transformando no assunto do momento na plataforma. Alguns se tornam ícones (Salt Bae, tea lizard), enquanto outros caem rapidamente no esquecimento.

Nem tudo que é compartilhado ou remixado é um meme. Para classificarmos algo como um meme, devemos ver uma massa crítica de uso repetido, com uma sequência comum entre as publicações.

Dinheiro

Ao marcar valores monetários, devemos começar com a moeda do país de origem, por exemplo, libras esterlinas para Moments que ocorrem no Reino Unido. Quando os Moments são segmentados para outros países, converta também os valores em USD e indique-os como US$ X (EUA). 

Nomes e títulos

Livros, filmes, programas e álbuns

Escrevemos em letras maiúsculas os títulos de livros, filmes, álbuns, músicas e programas de TV. Além disso, não os colocamos entre aspas. Reservamos as aspas duplas para letras de músicas, diálogos e citações. 

Escrevemos em letras maiúsculas referências a temporadas de séries de TV, por exemplo, "Havia muitos dragões no final da Temporada 7". O número da temporada é escrito como numeral. 

Identificadores

Ao incluir um identificador do Twitter em uma descrição, devemos incluir o nome real da pessoa, caso seja diferente do nome de usuário.

Ao descrever as pessoas apresentadas, evitamos chamá-las de "usuários". Em vez disso, compartilhe o nome delas, sua função ou detalhes da bio que levaram à seleção de Tweets dessas pessoas. Se não houver nenhuma informação biográfica disponível, devemos usar apenas o nome de usuário.

Não inicie um Tweet com um nome de usuário. Ao utilizar um nome de usuário em um Tweet ou em uma sentença, considere o símbolo @ como silencioso. Por exemplo, em vez de "O jogador X assinou um novo contrato @time", o correto é "O jogador X assinou um novo contrato com o @time".

Nomes próprios

Respeitamos o modo como pessoas, times e organizações se autodenominam. Não removemos hífens nem acentos. Isso também se aplica a nomes traduzidos de outros idiomas. 

Títulos

Não escrevemos títulos políticos em letras maiúsculas, exceto quando eles precedem um nome. A Rainha e o Papa são sempre escritos em letras maiúsculas. 

Números

Escrevemos por extenso os números de um a nove. Já os números de 10 em diante são escritos como numerais. Evite iniciar uma sentença com um número, exceto em títulos.

Placares esportivos e temperaturas são sempre escritos em numerais.

Para idades, use numerais, como "a menina tem 15 anos". Use hífens para idades mencionadas como adjetivos, por exemplo, "o menino de 5 anos".

Palavrões

Evitamos palavrões em títulos, descrições, anotações e Tweets das nossas contas de @Moments. Os Tweets usados em Moments podem conter palavrões, mas preferimos apresentar Tweets que não os contenham sempre que possível. Lembre-se de que há diferenças culturais em relação aos palavrões. Por exemplo, uma frase comum na Austrália pode ser considerada ofensiva nos EUA, ou vice-versa. Portanto, ela não deve ser incluída na curadoria entre mercados.

Pontuação

Parênteses e aspas

Se houver uma sentença completa entre parênteses ou aspas, o ponto final deverá ficar dentro. Se apenas um fragmento ou uma parte da sentença estiver entre parênteses, o ponto final deverá ficar fora. Por exemplo, "Temos diferenças de ortografia entre mercados. (O Reino Unido e o Canadá escrevem "viajou" com duas letras L.)" x "Há diferenças de pontuação entre mercados (o Reino Unido e o Canadá escrevem "viajou" com duas letras L)."

Elipse

Evitamos o uso de elipse. Se for necessário usá-la em uma descrição, por exemplo, ao abreviar uma citação, use um espaço em um dos lados da elipse.

Hífens

Hífens (-) são usados para conectar palavras como idades (o menino de 10 anos) ou para modificar um termo (um jogo de 15 pontos).

Vírgula de Oxford

Não usamos a vírgula de Oxford. Ao escrever uma lista, não inclua vírgula antes do "e" nem do item final, a menos que seja necessário para maior clareza. 

Possessivos

Usamos "de" como padrão para todos os substantivos possessivos no singular (de Cris), mas seguimos o estilo do Buzzfeed em algumas exceções:

  • Nomes próprios que terminam em "s" com som de "z"
  • Corporações, nomes próprios e de marcas que são pluralizados
  • Palavras que terminam com som de "s" antes de outra que começa com "s" levam apóstrofo e um "s" (para fins de estética e adequação)
  • Não use apóstrofo quando uma palavra for descritiva, e não possessiva (instituto de formação de professores, sala dos escritores)
  • Pronomes pessoais nunca levam apóstrofos (dela, dele)

Raça e etnia

Na maioria das conversas que selecionamos, identificamos as pessoas por nacionalidade, e não por raça ou etnia. Não devemos usar essas identificações indistintamente. Só devemos mencionar a raça ou a etnia de um indivíduo quando a conversa é definitivamente sobre raça.

Quando identificamos a raça de uma pessoa, devemos explicar claramente por que essa informação foi relevante. Ao especificar a raça, priorizamos o modo como as pessoas se autoidentificam e não devemos generalizar nem fazer suposições sobre a raça ou a etnia delas.

Devemos ter cautela com coberturas que resultam em uma narrativa restrita e singular sobre diversos grupos de pessoas, o que pode ser visto em amplas questões sociais. Isso pode incluir a cobertura de pessoas negras e hispânicas nos EUA ou determinadas populações de imigrantes na Europa ou, ainda, a generalização de reações por classificações raciais ou regionais, por exemplo, as mulheres asiáticas adoram essa nova série de TV.

Diferenças regionais

Nós nos esforçamos para que nossos Moments alcancem o maior número possível de pessoas em todo o mundo. Tentamos evitar em títulos e descrições palavras que têm ortografias e significados diferentes dependendo do mercado, por exemplo, banheiro x casa de banho, celular x telemóvel. Quando não houver uma palavra substituta elegante que funcione em odos os mercados, use como padrão o estilo do país em que a notícia está acontecendo, por exemplo, ponto de ônibus para o Brasil x paragem para Portugal.

Tweets das nossas contas de @Moments devem refletir a ortografia da região associada. Por exemplo, um Tweet que contém "faixa de pedestres" no Brasil deve ser editado para dizer "passadeira" em Portugal.

Ao se referir a regiões, seja específico. "Americano" pode significar "norte-americano" ou "dos Estados Unidos". Já "Grã-Bretanha" não se aplica a todo o Reino Unido (que abrange a Inglaterra, a Escócia, o País de Gales e a Irlanda do Norte). Da mesma maneira, os termos "Inglaterra" e "Reino Unido" não podem ser usados indistintamente.

A Irlanda do Norte está na mesma ilha que o Estado soberano da Irlanda, mas faz parte do Reino Unido. A Irlanda é um Estado soberano e não faz parte do Reino Unido. De maneira geral, quando uma pessoa se refere à Irlanda, ela está falando sobre o Estado soberano. Entretanto, nos casos em que o assunto se refere aos dois países e pode haver confusão, incluindo a cobertura do Brexit, podemos nos referir à nação independente como República da Irlanda.

Violência sexual e doméstica

Ao lidar com alegações de violência sexual e doméstica, preferimos usar "sobrevivente" ou "suposta vítima", em vez de "vítima" ou "acusador" (exceto em citações diretas) para descrever pessoas que foram supostamente atacadas. Não devemos publicar o nome do sobrevivente, a menos que a pessoa tenha se apresentado publicamente. Use "supostamente" para descrever circunstâncias em que as alegações não foram provadas no tribunal. 

Evite usar linguagem sensacionalista, como detalhes explícitos ou invasivos. Por exemplo, refira-se ao crime como "violência doméstica", em vez de chamá-lo de "tragédia" ou "horror". 

Evitamos palavras que podem transmitir a ideia de julgamento, por exemplo, escolha "disse" em vez de "alegou", "admitiu" ou "confessou".

Também evitamos palavras que transferem a culpa para a vítima e linguagem que sugere divertimento ou consentimento ao selecionar conversas relacionadas a ataques.

Marque coberturas detalhadas e potencialmente estressantes como sensíveis, quando apropriado. 

Para mais informações, consulte as Orientações da Level Up sobre a cobertura de violência doméstica e o Guia do Dart Center para denunciar violência sexual.

Imagens e linguagem sexual

Evitamos o uso de linguagem sexual, incluindo anatomia sexual, e imagens gratuitas em títulos, descrições e capas. 

Moments de uma única fonte

Só devemos selecionar nosso próprio Moment com base em uma única denúncia ou mídia (como um artigo, vídeo ou podcast) se ele estiver gerando conversas relevantes na plataforma e aparecer entre os principais assuntos do país. Isso inclui perfis de celebridades, políticos, atletas e outras figuras públicas.

Para esses Moments, inclua a atribuição no título.

Spoilers

Embora as pessoas reajam em tempo real no Twitter, não queremos estragar a experiência de quem está assistindo a um programa ou filme. Evitamos revelar reviravoltas no enredo no título, na descrição, na imagem de capa ou no Tweet. Além disso, devemos incluir um aviso para os fãs, por exemplo, 🚨ESTE MOMENT CONTÉM SPOILERS 🚨.

Verifique as datas de lançamento em outros mercados antes de segmentar Moments que podem conter spoilers.

Esportes

Falamos com os fãs na linguagem que eles usam. Em grandes eventos esportivos, devemos fornecer o contexto. Entretanto, em outras coberturas esportivas, podemos usar apelidos e termos internos do time.

Os playoffs são escritos com letras minúsculas, mas "Stanley Cup Playoffs" leva letras maiúsculas. A mesma regra se aplica a séries e jogos. Assim, escrevemos "Jogo 3" e "Rodada 2" em letras maiúsculas. Não utilizamos maiúsculas para finais, a menos que elas façam parte de um nome próprio, como "Western Conference Finals". 

"Pós-temporada" contém hífen. 

Soccer/futebol

"Soccer" nos EUA e no Canadá é "futebol" no Reino Unido. Tentamos contornar esse problema usando o nome da liga. Ao falarmos sobre MLS, podemos usar "soccer". Entretanto, se o evento ocorrer no Reino Unido, deverá ser chamado de futebol. 

Suicídio e automutilação

Defensores da saúde mental recomendam que façamos referência a mortes por suicídio como "morreu de suicídio", em vez de usar termos como "cometeu suicídio" ou "vítima de suicídio". A American Foundation for Suicide Prevention oferece mais orientações sobre como denunciar suicídio. 

Terrorismo

Não devemos chamar nenhum acontecimento de ataque terrorista ou terrorismo até que a unidade investigativa responsável do país, como a polícia ou o governo, o declare oficialmente como tal. No caso de notícias urgentes em tempo real que não estão claras, evite usar "terror" ou "ataque". Use "incidente" ou "evento".

Títulos e descrições

Títulos e descrições devem explicar a natureza e o tom da conversa, além de fornecer contexto para torná-la relevante para um amplo público. Eles devem ser neutros e, quando transmitem um ponto de vista, devemos citar a fonte dessa opinião. Tudo que for mencionado no título e na descrição também deverá ser ilustrado em um Tweet do Moment.

Perguntas nos títulos devem ser usadas com moderação, e não devemos fazer perguntas que não estejam completamente respondidas no Moment. 

Escrevemos títulos de Moments usando apenas a primeira letra maiúscula, não a primeira letra de todas as palavras. Portanto, apenas a primeira palavra do título e nomes próprios ficam em maiúsculas. Por exemplo: "Os nove melhores looks do tapete vermelho", e não "Este Bebê Foca é Lindo". Evitamos iniciar uma sentença com um número em descrições, mas podemos fazer isso em títulos. Os títulos devem ter menos de 10 palavras ou 280 caracteres. Já as descrições devem ter cerca de duas sentenças. 

Não usamos ponto no final de títulos. Tentamos não começar títulos com "Denúncia". Use a palavra em uma sentença ou atribua a denúncia.

Não devemos usar vírgulas em títulos para substituir a palavra "e". Essa é uma convenção comum em jornais, mas descaracteriza a natureza de conversa de nossos títulos e não é normalmente usada em muitos mercados, incluindo o Reino Unido. 

Se você usar um nome ou uma frase no título, evite repeti-lo na descrição. Não devemos repetir Tweets ou conteúdos de outros Tweets no título e na descrição. 

Traduções

Ao traduzir textos, mantenha o significado o mais próximo possível do original, facilitando a leitura e o entendimento do texto traduzido no idioma de destino. Portanto, é mais importante manter o sentido do texto traduzido o mais próximo possível do original do que fazer uma tradução literal. 

Ao compartilhar textos traduzidos em títulos, descrições ou anotações, indique o idioma original e mencione que o texto foi traduzido, por exemplo: O policial, falando em francês, disse que as interdições na estrada continuariam durante todo o fim de semana. 

Podemos citar traduções de representantes de governos, agências de notícias e jornalistas confiáveis.

Não devemos incluir palavras de idiomas estrangeiros que não reconhecemos em nossos Moments.

"Tweet" é a palavra

Sempre escrevemos a marca "Tweet" com letra maiúscula, independentemente de como ela é usada. A palavra "Retweet" também é sempre escrita com letra maiúscula. 

Evitamos o uso de "Tweetstorm" ou "sequência" no texto de Moments.

Verbos

Substantivos e verbos precisam concordar e usar o tempo verbal correto. Usamos linguagem informal, mas correta.

Precisamos ser consistentes quanto aos tempos verbais usados no título e na descrição dos Moments e nos Tweets de contas de Moments. Alguns Moments devem ser escritos no presente, por exemplo, "Blogueiras de beleza estão usando blushs amarelos". Fatos que já aconteceram devem ficar no passado, por exemplo, "O time passou para as finais". 

O conteúdo dos Moments deve ser comunicativo. Portanto, evitamos tempos verbais perfeitos e progressivos, por exemplo, "O primeiro ministro anunciou uma viagem para a China" quando poderíamos dizer "O primeiro ministro anunciou uma viagem para a China".

Condições meteorológicas

Quando há um alerta de condições meteorológicas, geralmente o público é alertado para a possibilidade de condições meteorológicas extremas. Quando há um aviso, significa que a previsão provavelmente se concretizará. Como padrão, use o idioma do serviço de previsão do tempo nacional da região afetada.

Temperatura

As temperaturas sobem ou descem. Elas não ficam mais quentes nem mais frias. Os números das temperaturas são escritos como numerais. Ao segmentar um Moment para o mundo todo, incluímos Fahrenheit e Celsius.

Tempestades, furacões e tufões

O tipo de tempestade é atribuído com base na velocidade do vento e no local em que ela é formada. Os furacões se formam no Atlântico Norte e no nordeste do Pacífico. Já os ciclones se formam no Pacífico Sul e no Oceano Índico. Os tufões se formam no noroeste do Oceano Pacífico. As categorias de furacões são baseadas na velocidade do vento. Os furacões da categoria 3 e superiores são considerados grandes tempestades. Em um Moment global, as velocidades do vento devem ser informadas em quilômetros por hora e milhas por hora. Para tempestades nos EUA e no Reino Unido, comece com milhas, por exemplo, 160 mph (260 kph). Já as tempestades globais devem apresentar quilômetros por hora primeiro, ou seja, 260 kph (160 mph).

Escrevemos a palavra "furacão" com letra maiúscula quando ela faz parte do nome que os meteorologistas atribuíram à tempestade, por exemplo, Furacão Irma. Os furacões são neutros. Não nos referimos a eles como "ele" ou "ela".

Orientações do National Weather Service sugerem que devemos evitar o termo "enfraquecida" na cobertura de tempestades, pois isso pode subestimar a ameaça de chuva e ventos fortes. Depois que uma tempestade é rebaixada para uma tempestade tropical ou depressão, ela pode ser chamada pelo nome ou qualificada como resquício, por exemplo: "Os moradores fazem a limpeza após as inundações de Harvey" ou "Cidades se preparam para os resquícios do Furacão Maria".

Terremotos

Os terremotos são registrados em magnitude e, de acordo com o AP Stylebook, não devem incluir hífens. Portanto, dizemos que é um terremoto de magnitude 5.9. Para serem sentidos pelas pessoas, geralmente os terremotos precisam ter magnitude de 2.5 a 3. Para começar a causar danos moderados a graves, eles precisam ter mais de 4 ou 5. Às vezes, pode levar dias até que os sismólogos consigam calcular a magnitude final. Portanto, retratamos os primeiros números como "preliminares" ou "estimados" e citamos a agência de informações, por exemplo: "A USGS estima que o terremoto tinha magnitude de 4.3".

 

Marcar como favorito ou compartilhar este artigo

Este artigo foi útil?

Agradecemos por enviar sua opinião. Estamos felizes em poder ajudar!

Agradecemos por enviar sua opinião. Como podemos melhorar este artigo?

Agradecemos por enviar sua opinião. Seus comentários vão nos ajudar a melhorar nossos artigos no futuro.